O setor de clínicas populares está em profusão em várias capitais do Brasil, em Belo Horizonte não é diferente. Porém, mais do que preço, outros atrativos também têm chamado a atenção dos pacientes como os horário estendidos, a diversidade de médicos especialistas em um mesmo lugar e o tempo curto de espera. A Clínica Popular IMEDato é um destes exemplos.

Em funcionamento desde o início de 2018, no bairro Dom Joaquim, na região Nordeste de BH, a clínica oferece mais de 20 especialidades. Segundo os diretores, durante a fase de pesquisa de mercado eles perceberam ser o setor das clínicas populares aquele que mais cresce na área da saúde.

“Empreender no meio médico não é fácil e comum. Mas ao olhar para a demanda do mercado comecei a construir este projeto. De um lado temos o SUS que, infelizmente, não consegue entregar tudo para a população. Do outro, temos os convênios, cada vez mais caros”, explica Diogo Umann, diretor do corpo clínico e cardiologista da IMEDato. Diogo conta que a clínica ainda não atingiu o seu grau de maturidade, o que vai acontecer nos próximos anos, mas que está indo muito bem. “Nosso diferencial é o corpo médico, temos jovens formados e profissionais experientes com décadas de profissão. O que eles têm em comum é o engajamento, o espírito desbravador que acredita neste novo perfil que foca em atendimento, qualidade e eficiência de custo”. A oftalmologista Mariana Amaranto é uma destas profissionais que atende quatro vezes por semana na Clínica Popular IMEDato e chega a receber 25 pacientes. O horário estendido da clínica, que funciona até as 22h e aos sábados, facilita sua rotina, já que ela está terminando sua segunda especialização. “As clínicas populares beneficiam muito a população”. Felipe Millen, diretor médico da Clínica do Bem, reforça que o paciente é quem ganha com o crescimento das clínicas populares em BH. “O mercado enxergou uma oportunidade nesse segmento de consultas com preço acessível. O SUS, apesar de atender a boa parte das demandas da população, ainda não consegue oferecer em tempo hábil atendimento com médicos especialistas. O paciente é, sem dúvidas, o maior beneficiado. Haja vista que consegue acesso ao médico especialista e esse acesso permite, muitas vezes, um diagnóstico precoce de doenças potencialmente graves.” A médica Taiane Nunes Barcelos é diretora da clínica Vista Clinic, no Buritis. Em sua visão, com a crise no Brasil nos últimos anos e a estagnação na economia, surgiu uma demanda por serviços de saúde com qualidade e acessíveis para um número de brasileiros que não têm acesso ao plano de saúde. “Este aumento das clínicas populares em Belo Horizonte segue um perfil de crescimento nacional. São modelos de negócios de saúde que vieram para suprir uma demanda recente de pacientes que perderam o emprego e o plano de saúde.

São perfis de pacientes que não têm o costume de aguardar atendimento pelo SUS, mas também que estão desempregados e por isso procuram serviços médicos com preços mais baixos”. Em sua opinião, este nicho de negócio ainda tem muito para crescer e todos ganham com isso. “Surge uma nova linha de trabalho para os médicos e serviços de saúde de excelência, qualidade e acessíveis a um maior número de pacientes” Segundo ela, em sua clínica, trabalham todos os perfis de médicos. “Mas a maioria são s mais jovens que ao formarem estão também tendo a dificuldade de se credenciar a planos de saúde. Como os planos estão perdendo clientes, muitos não estão abertos para ampliar a rede de credenciamento”, explica.

Fonte: Jornal Tudo BH

Fale Conosco        (31) 4042-1441